Biografia

Rodrigo Vilas Boas nasceu no dia 29 de outubro de 1978, no Rio de Janeiro – RJ. Desde pequeno demonstrou uma inclinação artística manifestada no Desenho e no seu interesse por Artes Plásticas. O Desenho fez parte da vida de Rodrigo até os seus 19 anos. Antes disso, aos 15 anos, teve a oportunidade de fazer seu primeiro curso de Desenho pelo SENAC. Esse curso o fez considerar a possibilidade de realizar um grande sonho: tornar-se um Artista Plástico. Todavia, aos 17 anos deparou-se com uma situação que era a última coisa que queria na vida: o Serviço Militar Obrigatório.

Nesta fase foi informado que não ficaria no excesso de contingente, e que certamente serviria no Exército como recruta. Isso aconteceria se uma alternativa (naquela época menos pior que servir) não lhe tivesse sido dada: entrar para a faculdade e ser encaminhado para o CPOR (Centro de Preparação de Oficiais da Reserva).

Orientado pelo seu pai de que esta opção seria muito melhor, tendo em vista que poderia tornar-se oficial do Exército, mesmo que na qualidade de temporário, Rodrigo Vilas Boas então decidiu prestar vestibular, a fim de obter este encaminhamento ao CPOR.

Aqui talvez tenha sido o período de maior crise existencial de Rodrigo Vilas Boas, que se viu extremamente distante de realizar seu sonho, tendo em vista que tinha um prazo para apresentar ao Exército uma declaração de que estava cursando uma faculdade, o que não o permitia tentar com mais calma um vestibular de uma Universidade Pública, ainda mais na área que desejava.

Mais uma vez orientado pelo seu pai, Rodrigo então prestou vestibular para o curso de Direito de uma faculdade particular, matriculando-se em fevereiro de 1997.

Se existiam duas opções de carreira que seriam das últimas para Rodrigo Vilas Boas, estas eram a carreira militar e a jurídica. Ambas o remetiam à uma vida muito distante do universo artístico.

Todavia, ambas as experiências fizeram o agora “Aluno Vilas Boas” enxergar o outro lado de ambas as profissões. A experiência no Exército, que no início de seu curso de formação foi negativa, com o passar do tempo se tornou A Experiência! Ao final do curso o já “Aspirante à Oficial Vilas Boas” estava eufórico com a possibilidade de seguir por mais 6 anos no Exército, o que acabou não acontecendo, ficando apenas as boas lembranças. E foi neste curso militar que Rodrigo Vilas Boas teve seu primeiro contato com a Verdade pregada pelo Evangelho, através de um amigo de curso, que o levou apenas para “aprender a tocar Baixo” na casa de seu tio (não sabia que este tio era pastor e que ele morava nos fundos de uma igreja).

A essa altura, a faculdade de Direito também começou a fasciná-lo, pelo que descobriu na profissão uma outra paixão. A Retórica, tão presente no Direito, fez com que Rodrigo Vilas Boas começasse a despertar para a beleza da Arte do Discurso, da Persuasão. E viu na Advocacia o seu ideal dentro do exercício do Direito.

Já freqüentando há algum tempo a igreja na qual o tio do seu amigo era pastor (Pr. Milton Vicente) e tomando contato com a Verdade Bíblica, Rodrigo Vilas Boas, em maio de 1999 resolve se converter à Jesus Cristo (e não à uma mera religião evangélica).

A partir daí, Rodrigo Vilas Boas, que já estava “arranhando” um violão, viu-se numa necessidade profunda de expressar essa mudança de Vida, esse encontro com Cristo. Viu então novamente na Arte o melhor caminho para isso, percebendo que a Música poderia ser esse veículo. Contudo, Rodrigo não conhecia nenhuma das canções que eram entoadas nas igrejas. Foi a partir dessa dificuldade que ele começou a compor suas próprias canções, tratando nas letras essa nova experiência com Jesus.

A primeira canção foi Outono, estação do ano na qual Rodrigo Vilas Boas se converteu e que ele vê como o retrato da pessoa que inicia o seu novo caminho com Jesus.

Nessa altura ele precisou trancar sua faculdade por dificuldades financeiras. Recém saído do Exército, precisou começar a trabalhar. Começou como vendedor trainee na uma rede de livrarias. Ainda sem ter como pagar a dívida que fez na faculdade, Rodrigo Vilas Boas conseguiu depois ir para um emprego como auxiliar de contabilidade em um sindicato. Depois de muito esforço juntando dinheiro, pagou sua dívida e voltou aos estudos em 2002.

Nesse período, continuou a compor suas canções, mas não tinha o seu próprio instrumento. Foi somente após seu retorno à faculdade que Rodrigo pôde comprar seu primeiro violão. A partir daí, começou a apresentar suas canções nas participações musicais nos cultos da igreja na qual atualmente é membro. Chegou a montar uma banda, mas viu que não iria dar certo e, após conhecer Rico Azeredo, que é produtor musical e tornou-se um grande amigo, decidiu que iria manter-se como cantor solo.

Com um estilo nada menos que diferente para os padrões evangélicos, Rodrigo Vilas Boas começou a apresentar suas músicas não apenas na sua igreja local, mas em todos os lugares onde tinha oportunidade. O seu Rock começou a agradar e abençoar mais e mais pessoas, o que logo gerou no seu coração a idéia de gravar seu primeiro álbum.

Várias foram as dificuldades encontradas para a realização deste novo sonho. O comprometimento com a faculdade e atualmente com o seu escritório de advocacia adiaram este projeto, mas não fez com que Rodrigo Vilas Boas tenha desistido.

Foi essa persistência que fez com que Rodrigo Vilas Boas continuasse nesta caminhada, sendo contemplado com a notícia de que a pré-produção do seu primeiro trabalho fonográfico terá início no mês de agosto de 2009.

Este primeiro Álbum, ainda sem título provisório, abordará a jornada de amadurecimento de suas composições, indo de sua experiência de conversão até chegar na atual fase, onde Rorigo Vilas Boas traz em suas letras uma maior reflexão poética do Cristianismo, sempre temperado com o seu Rock irreverente e com baladas que dão o toque de emoção a este primeiro Álbum.

Esta história certamente não acaba aqui…

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: